Br Sistemas – Transformando desafios em oportunidades

  • FAQ
  • Motivos de rejeição da nota fiscal eletrônica e como solucionar no Thunder

Motivos de rejeição da nota fiscal eletrônica e como solucionar no Thunder

Compartilhe:
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A rejeição de nota fiscal é muito comum em operações fiscais. Ela ocorre quando a Secretaria de Fazenda (Sefaz) do seu estado não aprova a emissão de documentos.

São vários os motivos que causam rejeições e cada um deles possui um número que especifica exatamente o problema, dessa forma é fácil corrigi-los. Nesse artigo vamos falar das rejeições de notas mais comuns, como resolvê-las ou evitá-las.

REJEIÇÃO 694: GRUPO DE ICMS INTERESTADUAL PARA A UF DE DESTINO DEVE SER INFORMADO NA OPERAÇÃO INTERESTADUAL DE VENDA A CONSUMIDOR FINAL.

Essa rejeição ocorre quando for emitida uma nota fiscal eletrônica (NF-e) para acobertar uma Operação Interestadual (tag: idDest = 2) com consumidor final (tag: indFinal = 1) e não contribuinte (tag: indIEDest = 9), sendo que a operação não é de prestação de serviços, ou seja, não possui o Grupo de Tributação ISSQN (Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza) e não for informado o Grupo do ICMS para a UF de Destino (tag: ICMSUFDest).

Como resolver?

Como existem muitas exceções e campos associados a essa regra de validação é importante ficar atento. O mais comum é adicionar o Grupo de ICMS para a UF de Destino (tag: ICMSUFDest).

Se já tiver analisado a sua NF-e e confirmado que o grupo está certo, então será necessário preencher o Grupo ICMSUFDest e dentro dele há os campos:

  • vBCUFDest: Valor da Base de Cálculo da UF de Destino
  • vBCFCPUFDest: Valor da Base de Cálculo do Fundo de Combate à Pobreza na UF de Destino
  • pFCPUFDest: Alíquota do Fundo de Combate à Pobreza na UF de Destino
  • pICMSUFDest: Alíquota do ICMS da UF de Destino
  • pICMSInter: Alíquota do ICMS Interestadual
  • pICMSInterPart: Alíquota do ICMS Interestadual de Partilha
  • vFCPUFDest: Valor do Fundo de Combate à Pobreza na UF de Destino
  • vICMSUFDest: Valor do ICMS na UF de Destino
  • vICMSUFRemet: Valor do ICMS da UF do Remetente

Além dos campos acima, ainda há os campos que devem ser preenchidos no Grupo de Totais do ICMS. Os campos de Totais são:

  • vFCPUFDest: Valor do Fundo de Combate à Pobreza na UF de Destino
  • vICMSUFDest: Valor do ICMS da UF de Destino
  • vICMSUFRemet: Valor do ICMS da UF do Remetente

Caso não seja necessário informar o grupo de ICMS para a UF de Destino, então você deve verificar todos os campos associados a essa rejeição e exceções. Os campos associados a essa rejeição são:

  • idDest
  • indFinal
  • indIEDest
  • ISSQN
  • ICMSPart
  • finNFe
  • CFOP
  • tpNF
  • comb
  • entrega / UF
  • enderEmit / UF
  • CST
  • CRT

Após a correção da NF-e:

  • Acesse a rotina NF-e
  • Selecione a NF-e
  • Selecione a opção gerar novo XML e envie a NF-e novamente

 

REJEIÇÃO 306: IE DO DESTINATÁRIO NÃO ESTÁ ATIVA NA UF

Essa rejeição ocorre quando for emitida uma NF-e (modelo 55) e a situação do destinatário no CCC (Cadastro centralizado de contribuintes) estiver como “Não habilitado”

O retorno da Sefaz pode ocorrer, por exemplo quando o destinatário possui uma IE ISENTA, IE diferente do Sintegra ou devido à uma inconsistência de Cadastro junto à SEFAZ.

Exceções e Observações

Para esta regra de validação não há exceções.

Algumas observações importantes que devem ser ressaltadas:

  • Algumas UF ainda não cadastraram no CCC os Contribuintes Pessoa Física (IE e CPF). Portanto, as SEFAZ autorizadoras que utilizam o CCC para validar o destinatário somente poderão efetuar as validações assinaladas se o Contribuinte (IE e CPF) existir no CCC.
  • A situação pode estar diferente nos ambientes de produção e homologação.

 

O que fazer?

O emitente de uma NF-e rejeitada pelo código de retorno 306 nada pode fazer para corrigir a situação.

Melhor solução: é consultar a IE no site Sintegra. É possível confirmar se a Inscrição Estadual está habilitada, buscando pelo CNPJ do destinatário. Se a empresa possuir IE válida altere o cadastro do cliente.

Para alterar:

  • Acesse a rotina (708) cliente > busque o cliente > clique no botão alterar insira o campo Inscrição Estadual correto e grave o cadastro.
  • Acessar a rotina NF-e
  • Selecionar a NF-e
  • E gerar o xml da NF-e novamente
  • E enviar a NF-e.

Se a Inscrição estadual não estiver habilitada, entrar em contato com o destinatário e verificar a possibilidade de emitir a nota como não contribuinte e deixar a IE em branco.

 

REJEIÇÃO 806: OPERAÇÃO COM ICMS-ST SEM INFORMAÇÃO DO CEST

Ocorre quando for emitida uma NF-e de operação SEM a informação do Código Especificador da Substituição Tributária (CEST) e o CST, ou o CSOSN de ICMS for um da lista abaixo:

  • 10 – Tributada com cobrança de ICMS por substituição tributária;
  • 30 – Isenta ou não tributada com cobrança de ICMS por substituição tributária;
  • 60 – ICMS cobrado anteriormente por substituição tributária;
  • 70 – Com redução de base de cálculo e cobrança de ICMS por substituição tributária;
  • 90 – Outros, desde que com a TAG vICMSST;
  • 201 – Tributada pelo Simples Nacional com permissão de crédito e com cobrança do ICMS por substituição tributária;
  • 202 – Tributada pelo Simples Nacional sem permissão de crédito e com cobrança do ICMS por substituição tributária;
  • 203 – Isenção de ICMS do Simples Nacional para a faixa de receita, com cobrança do ICMS por substituição tributária;
  • 500 – ICMS cobrado anteriormente por substituição tributária ou por antecipação;
  • 900 – Outros, desde que com a TAG vICMSST.

Para correção acesse a rotina (306) produto > localize o produto  > aba tributação > alterar produto > e preencha o campo “CEST” e salve o cadastro.

Após preencher as informações do CEST na rotina (306) produto, será necessário acessar a rotina NFE 4.0 gerar xml novamente para que os campos da NF-e sejam preenchidos com os dados corretos informado.

Exceções à regra!

  • A regra de validação 806 não se aplica quando a Tributação com Partilha de ICMS (ICMSPart);
  • A regra de validação 806 não se aplica em produção para NF-e, para versão anterior á Versão R122 v2 21.02.03 Nota Fiscal com data de emissão anterior a 03.02.21.

REJEIÇÃO 204: DUPLICIDADE DE NF-E

A rejeição 204: Duplicidade de NF-e acontece quando uma determinada nota fiscal, com o mesmo número, série e chave de acesso é enviada duas vezes para a validação da SEFAZ.

Solução:

  • Acesse a rotina NF-e 4.0
  • Selecione a NF-e
  • Clique no botão >Protocolar

REJEIÇÃO 203: EMITENTE NÃO HABILITADO PARA EMISSÃO DE NF-E

É uma validação feita pela própria Sefaz, e constata-se que a empresa ainda não está habilitada no Sefaz de origem para a emissão de Nota Fiscais. Este erro é comum para novas empresas, que ainda não emitiram Nota Fiscal Eletrônica e estão no processo de cadastramento na Sefaz ou que possuem alguma irregularidade nos órgãos de controle.

Regra de validação da Sefaz:

Solução: Consultar a Inscrição Estadual ou CNPJ no site sintegra ou Cadastro Centralizado de Contribuintes (CCC). Ao fazer essa consulta, é possível verificar a situação cadastral da empresa e se encontra habilitada.

Em todos os casos, é importante entrar em contato com a Sefaz para verificar sua situação cadastral e o motivo da rejeição.

Normalizado o problema, basta :

  • Acessar a rotina NF-e
  • Selecionar a NF-e
  • E gerar o xml da NF-e novamente
  • E enviar a NF-e.

 

REJEIÇÃO 221: CONFIRMADO O RECEBIMENTO DA NF-E PELO DESTINATÁRIO

Ocorre quando o destinatário da NF-e confirma o recebimento do documento através do evento de manifestação e o emitente realiza o registro de um evento de cancelamento.

Solução

Para conseguir cancelar esta nota, deve-se entrar em contato com o destinatário da NF-e e solicitar que registre outro evento de manifestação, (Operação não realizada ou desconhecida) sobre a NF-e que ele confirmou. Com qualquer um desses eventos homologados após a confirmação do operador, a NF-e poderá ser cancelada.

Ou solicitar que o cliente emita uma nota fiscal de devolução..

REJEIÇÃO 226: CÓDIGO DA UF DO EMITENTE DIVERGE DA UF AUTORIZADORA

A rejeição 226 ocorre quando o campo de identificação do código da UF (cUF) não condiz com a UF da SEFAZ de autorização, ou seja, a UF configurada no Thunder ERP e a apresentada no XML do CT-e não são as mesmas.

Como resolver?

Para resolver a Rejeição 226, verifique o campo cUF (código da UF) no XML da NF-e e veja se corresponde a UF da SEFAZ para qual está sendo enviada a NF-e.

REJEIÇÃO 531: TOTAL DA BC ICMS DIFERE DO SOMATÓRIO DOS ITENS

Ocorre quando é emitida uma NF-e (modelo 55) ou NFC-e (modelo 65) e o Total da Base de Cálculo do ICMS (Campo: total / ICMSTot / vBC ) informado no Grupo de Totais da NF-e é diferente do somatório da Base de Cálculo dos itens (Campo: vBC ) que fazem parte do cálculo.

Como corrigir?

  • Acesse a rotina (710) – Manutenção de nota de saída
  • Selecione a nota
  • Verifique qual item está com a ALIQ ICMS incorreta, insira a ALIQ ICMS correta e grave a nota .

Realize a correção em todos os itens, ou caso já esteja tudo correto, deixe o ‘Cálculo automático’ ativo, assim o sistema irá efetuar o cálculo dos impostos automaticamente, conforme cálculo exigido pela SEFAZ.

Observação: A soma da base de cálculo será automática ao gravar a nota.

  • Acessar a rotina NF-e
  • Selecionar a NF-e
  • E gerar o xml da NFE novamente
  • E enviar a NF-e.

 

Exceção : A regra de correção não se aplica, em produção, para versão anterior á Versão R122 v2 21.02.03 Nota Fiscal com data de emissão anterior a 03.02.21.

Verifique se está utilizando um código no campo CSOSN ou CST (dependendo do seu regime tributário) que permite o cálculo pela ‘% base de ICMS’.

Caso não esteja vendo o campo ‘% base de ICMS’, coloque o código e o ‘% base de ICMS’ orientados pelo seu contador para esse tipo de operação e salve.

REJEIÇÃO 690: PEDIDO DE CANCELAMENTO PARA NF-E COM CT-E OU MDF-E

Uma NF-e pode estar referenciada em diferentes CT-es ou MDF-es, nos Grupos de Documentos referenciados destes modelos. Quando uma NF-e está vinculada a um CT-e ou MDF-e, esta não poderá ser cancelada. Caso o emitente da NF-e tente registar um Evento de Cancelamento, quando há um vínculo desta com um CT-e ou MDF-e a Sefaz retornará a rejeição “690 – Pedido de cancelamento para NF-e com CT-e ou MDF-e”.

Como Resolver?

Para que a NF-e possa ser cancelada, o emitente do CT-e ou MDF-e deve cancelar o seu Documento Fiscal que está referenciando a NF-e. A partir do momento que o CT-e ou MDF-e forem cancelados, a NF-e poderá também ser cancelada.

REJEIÇÃO 656 – CONSUMO INDEVIDO

Este problema ocorre quando há um grande volume de consultas no servidor da Sefaz em um período de tempo muito curto. O limite é de 600 consultas a cada 5 minutos para um mesmo certificado. Quando isso ocorre a Sefaz bloqueia as consultas, retornando a Rejeição 656.

Como Resolver?

É preciso aguardar a liberação pela SEFAZ para emitir a nota novamente.

Se mesmo após esse tempo não for possível, entrar em contato com a Secretaria de Fazenda do seu estado para solucionar a questão.

 

Caso tenha alguma dúvida, acione os nossos especialistas no suporte online da BR SISTEMAS.

Consulte mais dos nossos conteúdos de apoio.
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
Mande sua mensagem para receber um Orçamento!

Fale conosco

  • End: C. 09 Lote 13 Sala 304 – Taguatinga – Brasília DF
  • Email: contato@brsistemas.com.br
  • (61) 9947-4402
  • (61) 30249717 ou (61) 30327509

Transformando desafios em oportunidade

Ei, não vai ainda!

Entre para a nossa Lista Vip BR Sistemas, e tenha acessos a conteúdos exclusivos!